Viena Siderúrgica é suspeita de grilagem de terras no município de Grajaú

GRAJAÚ – A empresa Viena Siderúrgica é suspeita de praticar ocupação de terras ilegalmente, a famosa grilagem, que é a falsificação de documentos de terras, muito comum na Amazônia. De acordo com informações repassadas à reportagem, a empresa teria ocupado de forma ilegal, pelo menos dois mil hectares de terras no município de Grajaú. 

Após expulsar os verdadeiros donos das terras, a empresa plantou mudas de eucaliptos em 60% da área. As terras invadidas pela siderúrgica foram registradas, uma parte em 1923, e outra parte em 1943, pelas famílias de Hermenegildo e Agemirim, ambos já falecidos. São terras de herança, deixadas de pais para filhos. 

“A Viana Siderúrgica é considerada uma das maiores grileiras de terras na região de Grajaú. Foram invadidas terras de herdeiros, que têm toda a documentação, como registro em cartório. São terras devidamente registradas”, disse uma fonte que prefere não se identificar. 

O impasse se arrasta há anos, e em 2019, a Viena Siderúrgica teria criado uma situação para prender os herdeiros, os acusando de grilagem, sendo que os herdeiros são os verdadeiros donos das terras. Há, ainda, suspeitas de fraudes em cartórios de Grajaú, de acordo com a fonte. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *