SINDJUS quer afastamento da presidente do TJ-MA


Os servidores do Judiciário, mesmo com a decisão do desembargador Marcelino Everton, que concedeu, na semana passada, pedido de “Tutela Antecipada” suspendendo a greve geral iniciada no dia 13 de novembro, permanecem com os “braços cruzados”.

Durante a manhã de quarta-feira (19), os servidores do Judiciário em greve realizam a maior passeata da história do Tribunal de Justiça do Maranhão. A caminhada, segundo o SINDJUS, foi pela Democratização e Transparência Administrativa no Poder Judiciário do Maranhão.

A greve é um protesto contra o não pagamento, pelo Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão (TJMA), dos retroativos judiciais da Ação dos 21,7%, ganha pelo SINDJUS-MA no Supremo Tribunal Federal (STF) em favor de seus associados.

Pior é que a briga parece está longe de terminar. O presidente do SINDJUS-MA, Anibal Lins, confirmou que o Sindicato deve pedir ainda nesta semana irá pedir o afastamento da desembargadora Cleonice Freire da presidência do Tribunal de Justiça, por deixar de cumprir integralmente, de forma deliberada e consciente, uma decisão judicial que obteve seu transito final no STF.

Anibal Lins também confirmou que o SINDJUS pedirá ao Conselho Nacional de Justiça – CNJ, para que seja realizada uma auditoria pública na administração financeira do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Enquanto isso, a greve dos servidores do Judiciário continua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *