Sinceramente, eu quase entro na confusão também, p…

Sinceramente, eu quase entro na confusão também, pois estava viajando e necessitava passar, mas devido a manifestação, o ônibus não teve como.
Percebi que algumas pessoas estavam atravessando a pé e pegando condução no outro lado, sentido retornando para Açailândia. Após esperar alguns instantes para ver se o exército resolvia a situação, e como não resolveu, eu resolvi pegar minhas coisas no ônibus e atravessar. Foi quando apareceu alguns manifestantes tentando impedir que eu passasse, dizendo que "agora não passa mais nem pedestre! Se passar, leva bala!".
Fiz um instante de silêncio. Olhei fixamente nos olhos de um jovem manifestante e disse: "Eu tenho que passar! Eu necessito passar! Não tenho nada contra a manifestações de vocês, mas eu não tenho que pagar por isso e se algum de vocês tentarem impedir, eu também posso atirar."
Eles perceberam que eu estava em meu limite e recuaram.
Confesso que sai olhando para trás, temeroso a traição. Mas estava disposto a revidar, se necessário fosse!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *