Sensor de estacionamento e câmera de ré, tecnologias que auxiliam no cotidiano

Aprenda um pouco mais sobre essas duas tecnologias

Diversos carros atualmente, como o Fiat Cronos, por exemplo, vêm dotados de tecnologias que facilitam e muito a vida do motorista, como o sensor de estacionamento e a câmera de ré. Eles trazem uma maior praticidade na condução em determinados ambientes, além de proporcionar uma maior segurança para todos.

Mas no que consistem o sensor de estacionamento e a câmera de ré? Quais as diferenças entre essas duas tecnologias? Como elas podem ser úteis? É o que nós abordaremos adiante.

O que é o sensor de estacionamento e como ele pode auxiliar?

Também conhecidos como sensores de proximidade, os sensores de estacionamento são tecnologias muito úteis. Eles alertam o motorista sobre possíveis obstáculos enquanto ele está estacionando. Esses sensores estão normalmente localizados no para-choque traseiro do veículo. Entretanto, também existem carros que tem sensores de estacionamento ou proximidade no para-choque dianteiro e no para-lamas.

Este sistema emite ondas sonoras ou frequências eletromagnéticas na direção do carro em movimento. como tal, se você estiver estacionando em marcha à ré, o sistema enviará sinais de saída em direção à parte traseira do carro. Qualquer sinal retornado acionará um alarme para notificar o motorista de um obstáculo potencial. Ele pode então aplicar os freios ou ir devagar no acelerador.

É fácil entender como os sensores de estacionamento ajudam os motoristas, especialmente aqueles que tem muitos problemas com percepção espacial e de profundidade. Também há pessoas que não sabem usar o retrovisor ou o espelho lateral quando eles estão dando a ré em seus veículos. Algumas pessoas cometem erros ao calcular errado a distância do carro deles em comparação com objetos próximos.

Um sensor de estacionamento diminui o estresse que frequentemente acompanha o ato de estacionar. Independente do sentido ou direção, o pior pesadelo de um condutor é bater em alguma coisa. Essa coisa pode ser um poste, uma parede, uma lata de lixo ou até mesmo um pedestre. Sensores de estacionamento dá ao motorista tempo o suficiente para reagir a uma colisão iminente. De fato, ele pode acionar os freios assim que escuta o primeiro “apito”.

Existe basicamente dois tipos de sensor de estacionamento: o ultrassônico e o eletromagnético. Leia abaixo como funciona cada um.

. Sensor de estacionamento ultrassônico

Os sensores ultrassônicos usam ondas sonoras de alta frequência para detectar objetos. Esses sensores emitem pulsos de som que refletem em objetos próximos. Um receptor detecta as ondas refletidas e calcula a distância do seu veículo ao objeto. Como o sistema ultrassônico usa ondas sonoras, elas podem sofrer interferência e também não são tão úteis em objetos pequenos e estreitos, como postes. Eles também são afetados pela chuva e pelo vento. Além disso, uma vez que um sistema ultrassônico funciona usando sensores individuais montados no para-choque do carro, sujeira, sujeira de lama podem fazer com que o sistema falhe.

. Sensor de estacionamento

Este tipo de sensor de estacionamento usa frequências eletromagnéticas para detectar objetos próximos. Os sensores de estacionamento eletromagnéticos podem detectar mais tipos de objetos sem as mesmas limitações dos sensores de proximidade ultrassônicos, pois funcionam na ampla faixa de comprimentos de onda do espectro eletromagnético. Sensores eletromagnéticos também podem ser emparelhados com uma câmera para ajudar os motoristas a visualizar melhor seu carro e o espaço ao seu redor. Ao contrário dos sensores ultrassônicos que são montados nos amortecedores, os sensores eletromagnéticos são montados dentro do amortecedor. Portanto, não há problema com a sujeira interferindo na capacidade de detecção do sistema. Outro ponto positivo do EPS é que eles são discretos.

O que é a câmera de ré?

Como pode ser compreendido por meio do próprio nome, a câmera de ré fica localizada na parte traseira do veículo. Trata-se de uma câmera de vídeo confeccionada especialmente para ficar acoplada à traseiro do carro, a fim de auxiliar no back up e para aliviar o ponto cego traseiro. Ela foi desenvolvida especialmente para impedir uma colisão na traseira.

Diante disso, a ideia é simples: quando você coloca seu carro em marcha à ré, uma câmera montada na parte traseira do veículo liga e envia uma imagem a um monitor para mostrar o que está atrás de você. Mas a realidade é um pouco mais complicada. Os sistemas de câmera de backup, mesmo em seus mais básicos, são peças de tecnologia bastante sofisticadas e estão cada vez mais sofisticadas.

A complexidade começa com a imagem capturada pela câmera. Em vez de transmitir a imagem que uma câmera típica pode ver, os sistemas de câmera de backup são, na verdade, projetados para enviar uma imagem espelhada ao monitor para que a orientação esteja correta quando você olha para ela. Se você estivesse olhando para um feed direto do que a câmera vê, a imagem seria invertida e você viraria para a esquerda quando quisesse ir para a direita. O sistema foi projetado para corrigir isso, de forma que a visualização na tela faça sentido.

Qual a diferença entre o sensor de estacionamento e a câmera de ré?

Um sensor de ré (estacionamento) emitirá um sinal sonoro dentro do veículo conforme se aproxima de um objeto enquanto faz ré, dando ao motorista uma ideia de quão perto está para evitar bater em algo.

Uma câmera traseira (traseira) é um feed de vídeo atrás do veículo que mostra ao motorista um feed no console de vídeo. Eles permitem que o motorista tenha uma ideia mais clara do que está atrás deles e o quão perto, tornando mais fácil voltar para uma vaga de estacionamento.

As câmeras traseiras provaram ser muito mais eficazes para evitar que os motoristas se envolvam em um acidente e colidam com as pessoas ou objetos enquanto dão ré, mas normalmente são mais caras como opções nos carros.

Agora você sabe não apenas o que são os sensores de estacionamento e a câmera de ré e qual a utilidade deles para o motorista, como também compreende a diferença entre esses dois recursos. Curta e compartilhe esse post em suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *