Homem tenta divorciar e descobre que está morto

Após 25 anos de separação, o pedreiro Evangelista Santos descobriu que foi declarado morto pela ex-mulher. Ele mora em Águas Lindas de Goiás, região do Entorno do DF, e só soube que estava “morto” porque foi dar entrada no processo de divórcio. 

Para acabar oficialmente com o casamento, ele precisava pegar uma certidão no cartório de uma cidade do interior do Maranhão, onde morou com a ex-companheira. Um irmão de Santos foi ao cartório e descobriu que ele estava “morto” desde 1997.

Divórcio

Seu Evangelista Santos ficou preocupado porque foi impossibilitado de resolver questões pessoais como conseguir um empréstimo bancário. Ele só soube que a responsável pela declaração falsa de morte foi feita pela ex-mulher após uma investigação. 
Pelas ruas de Águas Lindas, onde o pedreiro mora, a notícia causou surpresa entre os moradores. Segundo ele, ninguém entendeu como aquele homem que todos veem diariamente pode estar morto.
De acordo com o Ministério Público de Goiás, a certidão de óbito emitida em nome do pedreiro apresenta vários erros graves. O primeiro é que o documento não tem a identificação do médico que teria atestado o falecimento. Além disso, a certidão diz que ele morreu em outubro de 1997. Já na certidão de casamento do pedreiro, o óbito foi declarado em 1989, oito anos antes.
Por causa dos problemas evidentes, o Ministério Público de Goiás garantiu que em 30 dias o caso deve ser solucionado. Segundo a promotora que analisou o caso, a declaração equivocada de morte pode ter acontecido por falha do cartório da cidade onde foi feito o registro. De qualquer forma, a ex-mulher de Evangelista Santos, que informou o suposto falecimento do pedreiro, cometeu um crime. Mas ela não será responsabilizada porque o crime prescreveu.
Agora, o pedreiro espera que tudo se resolva e ele possa ter tranquilidade novamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *